Resultado online:

Entrar

Notícias


07. nov. 2017

Marcadores sorológicos para o diagnóstico de câncer de próstata.

O câncer de próstata é uma das principais causas de mortalidade masculina. A dosagem do antígeno específico da próstata (PSA) presente em soro é um marcador amplamente utilizado na detecção precoce do câncer de próstata. Contudo, a especificidade do PSA é bem limitada, pois a secreção desta enzima pela próstata se dá tanto por células malignas quanto benignas.

Estudos recentes sugerem a utilidade clínica do proPSA, que se refere a uma série de precursores inativos de PSA secretados pelas células prostáticas. Esses precursores são encontrados em concentrações mais elevadas em tumores de próstata do que em tecidos benignos, o que garante alta especificidade no rastreamento da doença.

É possível se detectar três formas de proPSA em soro, sendo elas:

  • [−2] a forma mais sensível,
  • [−4] e [−5,−7] as mais estáveis.

 

Apesar da alta especificidade, a triagem do câncer de próstata através da determinação da soma acumulada de todas essas formas não tem se demonstrado tão útil como a medição do [−2]proPSA (p2psa), que é a principal forma encontrada em extratos de tumores e imunomarcação.

O Teste ProPSA consiste em um ensaio de quimioluminescência com partículas paramagnéticas, que determinam o valor do PSA, PSA Livre e p2psa sem formação de complexos (fPSA), para calcular o índice de saúde prostático (PHI). O Índice de Saúde Prostática (PHI), oferece informações precisas sobre os níveis elevados de PSA no paciente e o risco de câncer de próstata utilizando soro.

 

 

Vantagens do Teste proPSA

 

Maior especificidade clínica – 3x mais específico para câncer de próstata do que o PSA e aprovado pelo FDA.

Laudos personalizados – resultados fornecidos com avaliação de risco individual para câncer de próstata.

 

Para quem o teste é indicado?

O PHI é utilizado como ferramenta para distinguir os pacientes com alto risco de câncer de próstata daqueles que apresentam condições prostáticas benignas na seguinte situação: homens a partir de 50 anos de idade com valores de PSA total entre 2 e 10 ng/mL, que não apresentem indícios de câncer em tato retal.

Para a realização do teste é necessário a coleta de 1 mL de soro, sendo que essa amostra deve ser enviada ao DB congelada.

 

Teste 4kscore

O teste 4kscore avalia a agressividade do tumor por meio do estudo de quatro marcadores: PSA total, PSA livre, PSA intacto e calicreína humana 2 em amostra de sangue. Os resultados da análise são integrados em um algoritmo que inclui a idade do paciente, a presença ou ausência de nódulos detectados mediante toque retal e o resultado da biópsia anterior (caso houver).

 

Graças a integração dos distintos parâmetros, o 4Kscore proporciona uma porcentagem de probabilidade de que a biópsia de próstata seja positiva (Gleason ≥7).

O 4Kscore é utilizado como ferramenta para avaliar a necessidade de realização de uma biópsia, independentemente de que seja a primeira ou não, ou de valores de PSA do paciente.

Vantagem do 4Kscore

– Permite estabelecer o risco de metástase para os próximos 20 anos.

Indicado nos pacientes com:

– Histórico familiar de câncer de próstata

– PSA elevado ou alto

– Toque retal anômalo

– Resultado negativo em uma biópsia anterior

– O diagnóstico do câncer de próstata exige a realização de uma biópsia prostática.

 

 

Referências:
LABCONOUS. 4Kscore. Avaliação do risco individual de câncer de próstata agressivo no sangue. Disponível em: < http://www.labconous.com/Media/PDF/br/Folheto%204K%20Score.pdf > Acesso em: 30 out. 2017.
LABCONOUS. Teste proPSA. Índice de saúde prostático. Disponível em: < http://www.labconous.com/Media/PDF/br/Ficha_Teste_proPSA.pdf > Acesso em: 30 out. 2017.

Cadastre-se e receba as novidades do nosso informativo no seu e-mail: